Revivendo a Avenida São Paulo
Celso Marvadão

A foto do Museu Histórico Sorocabana, do início da avenida São Paulo, é bem uma síntese dos anos 1950: chaminé da fábrica São Paulo, charrete, carros, ônibus e a linha de bonde passando pelo canteiro central da avenida. À direita, o posto Esso de Nico Montoro. Na calçada, tinha uma bomba tipo coqueiro que abastecia diesel. Dentro do prédio, bombas de gasolina comum, azul e querosene. Na foto colorida, temos o bonde passando pelo canteiro.

A outra foto, de 1951, do acervo do IBGE, mostra a empresa Irse Mencacci & Irmão, que vendia os veículos da marca Chevrolet. Irse foi um dos que ajudaram a Associação Comercial e Industrial a comprar sua sede na rua da Penha, em 1946. A empresa também participou da Feira-Exposição Agrícola, Industrial de Sorocaba, montada pela ACIS em 1938, na inauguração do Mercado Municipal.

Na época, a Irse Mencacci & Irmão já se encontrava neste ponto da avenida São Paulo (então chamada de avenida Siqueira Campos), perto do relógio público, onde o bonde fazia a curva. A empresa também representava os refrigeradores Frigidaire (linha da General Motors) e os Fogões Dako. O ponto depois foi ocupado pela Moreno Materiais para Construção e atualmente é o Posto Cacel.

No corredor da avenida São Paulo, havia ainda a Distribuidora de Automóveis S/A, que nos anos 60 vendeu o AeroWyllis, a Retífica Sorocaba Ltda (motores em geral) e o tradicional Posto Palma, perto da Santa Casa, que nasceu como “Posto Mechanico José Palma” e que tinha ao lado o Bar Avenida.

A avenida São Paulo ficou marcada também pelo Bar e Padaria da Lua (foto), onde paravam alguns ônibus do interior e que por isso funcionava à noite. A avenida São Paulo, na época, era passagem da Rodovia Raposo Tavares. O Bar da Portuguesa (foto), que foi aberto em 1958 e fechado há pouco tempo, também era uma das referências do corredor.

A outra foto mostra o stand da Irse Mencacci & Irmãos, na Feira-Exposição do Mercado, em 1938.