Pensão São José, antiga casa de Tobias de Aguiar
Celso Marvadão

O centro de Sorocaba foi famoso também pela existência de pensões que abrigavam sobretudo viajantes, oferecendo pernoite e alimentação.

Encontrei esse anúncio (“reclame”) no Guia Indicador de Sorocaba, bem antigo, acho que dos anos 30 ou 40.

A Pensão São José ficava na rua XV de Novembro, 243, de propriedade de José Loureiro. “Não temos concurrência”, “aceitam-se pensionistas internos e também fornece marmitas à domicílio pelos menores preços do comércio”, diz a publicação.

A pensão ficava numa esquina, provavelmente na casa (reformada) onde nasceu o Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, filho de Antônio Francisco de Aguiar e de dona Gertrudes Aires de Aguiar.

A casa do Brigadeiro ficava diante da atual praça Arthur Fajardo (Largo do Canhão), que já foi chamada de Largo Santa Gertrudes (em homenagem à mãe do brigadeiro) e também Largo das Tropas, porque era ali que as tropas pegavam a rua da Ponte, na direção do pedágio que ficava no início da avenida São Paulo.

Consta que um ano antes de morrer Rafael Tobias de Aguiar doou uma área que ia da casa até o bico do quintal para a Câmara de Sorocaba para ser jardim, onde não poderia se construído nenhum prédio, informa o historiador Adolfo Frioli. “Aí a Câmara abriu a rua, e a casa ficou de esquina, que passou a ser chamada de esquina do Capitão Chico”. Hoje a rua se chama Gonçalves Ledo, que é uma continuação da rua Monsenhor João Soares.

Parte da casa do Brigadeiro foi hospedagem de ilustres viajantes que por aqui passaram, como Spix, Martius e Saint Hilaire.

A histórica residência, que depois da abertura da rua ficou numa esquina, continuou sendo um ponto comercial ao longo do tempo, como prova o anúncio da Pensão São José.