Nos anos 70, a nossa rodoviária já foi tratada como Shopping
Celso Marvadão

A RodoCenter, nossa Rodoviária, hoje está arcaica, mal situada, à espera de um novo local. Mas já foi “point” comercial, referência empresarial de Sorocaba antes da “era” dos shopping centers.


Graças às fotos do Projeto Memória do Jornal Cruzeiro do Sul, podemos matar a saudade do local, do tempo em que foi celebrado como grande novidade.

Inaugurada em 1973 e construída pela SOCIA (hoje administrada pela Urbes), num projeto que unia comércio e centro rodoviário, teve suas obras iniciadas em 1969. Nas fotos, vemos o prédio em construção e a placa anunciando a chegada do empreendimento.

Os usuários, na época, acharam o local "uma lonjura". Antes, os ônibus saíam de diversos pontos da cidade (esquina da São Bento com a Brigadeiro Tobias, Largo do Rosário, perto do Mercado Municipal, rua Sete de Setembro e adjacências).

A RodoCenter é um dos primeiros prédios de Sorocaba em cimento aparente. Na época, as pessoas estranharam esse técnica construtiva, alguns até perguntavam quando o prédio ia ser "revestido de pastilhas". O nosso Paço, também de cimento aparente, é de 1981, assim como a sede do Banespa na Rua São Bento (hoje Santander), que tem provavelmente o melhor sistema de ar condicionado dos prédios de serviços de Sorocaba.

Nos anos 70, a Rodoviária chegou com status de shopping ("um dos mais modernos centros comerciais rodoviários do Brasil", dizia a placa). A Galeria Santa Clara, aberta na esquina das ruas São Bento com a Padre Luiz, no fim dos anos 60, também foi um marco comercial da cidade, com alguma coisa de shopping.

Onde foi aberta a avenida Juscelino Kubitschek, à margem da qual se situa a RodoCenter, havia um córrego que mostrava as lajes. Ele entrou literalmente pelo cano, sumindo sobre o asfalto, ali na proximidade do conhecido Palácio da Saúde, diante da então Escola Técnica Cel.Fernando Prestes. A Rodoviária foi fator de ocupação urbana daquela região de Sorocaba.

O trecho da avenida JK (da avenida Com. Pereira Inácio até a Barão de Tatuí), já corredor de “footing”, com grande movimentação de carros e de gente aglomerada na calçadas nos fins de semana, com bares e outros embalos de sábado à noite.

A RodoCenter ficou marcada também pela presença do Supermercado Yaohan, com seu globo no alto. Depois ali funcionaram o Supertuba, depois Batajão e hoje ali o Paulistão.